24.5 C
Salvador
sábado, maio 28, 2022
InícioBrasilFachin sobe o tom, rebate Bolsonaro e diz que instituições não permitirão...

Fachin sobe o tom, rebate Bolsonaro e diz que instituições não permitirão ‘subversão do processo eleitoral’

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta sexta-feira, 13, que não permitirá a “subversão do processo eleitoral” e que, para isso, terão que tirá-lo da cadeira de presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Durante a sua participação no Congresso Brasileiro de Magistrados, em Salvador, o magistrado rebateu, mais uma vez, uma fala do presidente Jair Bolsonaro (PL). “Dizem que falo de fantasma. A violência tem gênero, números e graus. Não é um fantasma, não é assombração. A violência no Brasil é assombrosa, é trágica, é terrível” iniciou o ministro sobre o que classificou como “realidade pavorosa” que vive o país.

“A violência contra a imprensa e seus imprescindíveis profissionais, as ameaças à integridade física de magistrados e de seus familiares e os ataques das milícias digitais geradoras de insegurança cibernética. E o que é ainda mais triste: a bestialidade moral e simbólica dos discursos de ódio. A desinformação também tem forma, nome e origem. Não é fantasma. Não é um espectro, é um fato evidente”. completou. A declaração é uma resposta ao chefe do Executivo, que disse em sua live semanal na quinta-feira, 12, que não sabia de onde Fachin estava “tirando esse fantasma de que as Forças Armadas querem interferir nas eleições”.

Não é a primeira vez que o ministro e o presidente trocam farpas indiretas. Após Bolsonaro declarar as Forças Armadas não vão participar das eleições apenas como expectadoras, o magistrado reforçou que quem cuida do pleito são as “forças desarmadas“. Nesta sexta-feira, Fachin deu mais um pronunciamento defendendo a soberania da Justiça Eleitoral no processo. “Nenhuma instituição ou autoridade a Constituição permite os poderes que são próprios e exclusivos da Justiça Eleitoral. Não permitiremos a subversão do processo eleitoral — e digo com todas as letras, para que não tenham dúvida: para remover a Justiça Eleitoral de suas funções terão que antes remover este presidente da sua presidência. Não cederemos”, frisou Fachin. “Diálogo sim, joelhos dobrados por submissão, jamais.”

Com informações da Jovem Pan

Cidade Revistahttp://www.cidaderevista.com.br
Notícias e Parcerias? Chama no WhatsApp-> (71) 99900-3232
ARTIGOS RELACIONADOS
- Publicidade -

MAIS ACESSADOS

COMENTÁRIOS RECENTES