28 C
Salvador
quarta-feira, dezembro 1, 2021
Anuncie aqui!
InícioBrasilBahia"Não aceito agressão ao meu partido", diz Otto após ataques de Rui...

“Não aceito agressão ao meu partido”, diz Otto após ataques de Rui sobre voto na PEC dos Precatórios

Não foi vista com bons olhos a declaração do governador Rui Costa (PT), que chamou de “traíras” os deputados federais baianos que votaram a favor da PEC dos Precatórios, na última quinta-feira (4). O senador Otto Alencar (PSD), que é da base do governador petista, criticou o governador pelas declarações de perseguição aos parlamentares.

“Sou aliado fiel e não aceito agressão ao meu partido, nem a membros do meu partido. Quem sugeriu o parcelamento em três parcelas [dos recursos do Fundef cujo pagamento foi definido em julgamento do Supremo Tribunal Federal] foi o governador Rui Costa. O governador me autorizou a conversar com o presidente [da Câmara dos Deputados] Arthur Lira. Conversei com a bancada, com o presidente Arthur Lira e depois conversei com o governador sobre o assunto. Ontem à noite conversei com o governador e ele não me pediu que orientasse o voto contra”, declarou Otto, em conversa com o site Política Livre.

Por 312 votos a favor e 144 contra, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou na madrugada da última quinta-feira (4), em primeiro turno, o texto-base do relator Hugo Motta (Republicanos-PB), da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 23/21. Conhecida como PEC dos Precatórios, ela limita o valor de despesas anuais com precatórios, corrige seus valores exclusivamente pela Taxa Selic e muda a forma de calcular o teto de gastos.

Na bancada baiana, 24 deputados votaram sim, contra 14 que se posicionaram contra. O único que não registrou voto foi Ronaldo Carleto (PP).

Após a votação, deputados petista emitiram nota afirmando que, com a aprovação em primeiro turno da PEC, venceu “a mentira, o calote e a chantagem”.

“Vence a mentira, o calote e a chantagem. Uma noite que marca uma grande derrota para o país e amplia o volume de recursos fisiológicos e do orçamento paralelo, que poderá receber dezenas de bilhões às custas do descumprimento de ordem constitucional dos precatórios já transitados em julgados pelo STF, além dos calotes aos estados. Promessas foram feitas aos estados e representações da educação, mas tem alguém acreditando? Perde o Brasil”, afirmou o deputado petista Zé Neto na nota.

Otto, então, tratou de se posicionar contra a nota. O senador disse que a mesma era “mentirosa”. “Temos tradição de cumprir compromissos, por isso repilo a nota mentirosa dos deputados federais do PT. O PSD tem toda altivez e autonomia de não aceitar. O PSD só tem aliança quando é respeitado”, repetiu Otto Alencar. “Os compromissos que assumi com [o senador Jaques] Wagner, Rui e [o ex-presidente] Lula, eu sempre cumpri”, completou.

Anuncie aqui no Cidade Revista
ARTIGOS RELACIONADOS
- Publicidade -
Blessed Modas

MAIS ACESSADOS

COMENTÁRIOS RECENTES